Outro

Aluno pede ‘Sushi Cozido’ no Restaurante Jiro

Aluno pede ‘Sushi Cozido’ no Restaurante Jiro



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Deixar uma crítica on-line desagradável depois de uma experiência ruim em um restaurante pode fazer um cliente se sentir melhor, mas nem sempre faz com que pareçam muito bem. Uma cliente descobriu isso recentemente quando tentou reclamar do Sukiyabashi Jiro, o restaurante com três estrelas Michelin de propriedade de Jiro Ono, e se viu assada por alguns dos comentaristas mais desagradáveis ​​da Internet.

De acordo com o Rocket News 24, porém, foi realmente tudo culpa dela. Chuhan Lin, de 23 anos, estudante da China, fez uma reserva para cinco no que é indiscutivelmente o maior restaurante de sushi do mundo. A festa dela começou aparecendo 40 minutos atrasada e não se desculpando. Então, quando a comida apareceu, eles decidiram que peixe cru era nojento. Depois de provar dois pedaços, eles decidiram que queriam deixar o famoso sushi e ir para algumas costeletas de porco fritas em um restaurante próximo.

Então Lin e seus amigos disseram que não queriam o resto de seu menu de degustação e pediram ao chef para preparar "sushi cozido" para eles levarem para viagem.

“O sushi é servido cozido no seu país?” perguntou o chef. “Se você não consegue lidar com alimentos crus, deveria ter nos informado quando fez a reserva!”

"Quem sabia!?" Lin retrucou, porque ninguém poderia prever que Sukiyabashi Jiro serviria sushi, ou que a maioria dos sushi é coberta com peixe cru ou frutos do mar.

Como muitos clientes zangados ao redor do mundo, Lin saiu furiosa para desabafar suas frustrações na Internet, criticando Sukiyabashi Jiro por não ser respeitoso o suficiente com ela.

“Se fôssemos Abe! Se fôssemos Obama! Ele ousaria mostrar tal atitude? ” Lin reclamou.

Mas, em vez disso, a Internet reagiu, querendo saber o que ela estava fazendo com uma reserva tão cara e difícil de conseguir se ela nem sabia o que era sushi. Alguns comentaristas do Weibo, um importante site de microblog da China, a consideraram uma “desgraça nacional” por seu mau comportamento no exterior.

Lin acabou murchando sob a vergonha do público e retirou seu posto, “porque o mundo inteiro está me repreendendo”.

Ela disse que a repreensão da Internet lhe ensinou uma lição, porém, e ela disse que voltou ao restaurante mais tarde para se desculpar. O restaurante foi supostamente muito simpático e disse-lhe para voltar e visitá-lo novamente quando tiver adquirido o gosto por sushi.


As meninas chinesas exigem sushi cozido no melhor bar de sushi do mundo e # x27s. O que acontece a seguir NÃO é chocante

Quando se trata de sushi, você adora ou não. Claro que é um gosto adquirido, mas todos nós sabemos o que é sushi. Bem, aparentemente essa estudante chinesa não fez isso, e quando ela e seus amigos visitaram uma casa de sushi bastante famosa enquanto estudavam no Japão, ela acabou irritando os proprietários e foi online para reclamar no Weibo (o Facebook chinês) e falar mal deles pensando que seus amigos a apoiariam.

Em vez disso, ela foi recebida com uma reação de vergonha pública e muitos a chamaram de uma vergonha para seu país. Se essa história não tornar sua segunda-feira um pouco mais tolerável, pelo menos vai deixá-lo com vontade de comer sushi.

Propaganda

A estudante chinesa Chuhan Lin estava estudando no Japão quando ela e quatro amigos decidiram experimentar sushi em uma filial do famoso restaurante Sukiyabashi Jiro em Roppongi, Japão, que ficou famoso com o documentário Jiro Dreams of Sushi. O restaurante era administrado por um dos filhos de Jiro e é conhecido no mundo todo por ter o melhor sushi de todos os tempos.

Para comer neste restaurante, você tem que fazer uma reserva e escolher o que comer antes de chegar lá, para que eles preparem todos os itens que você pedir da forma mais fresca possível. Bem, Lin e seus quatro amigos, todos estudantes chineses, chegaram 40 minutos atrasados ​​e nunca se desculparam. Essa é a primeira vez.

No restaurante, eles têm um armário comum onde os clientes podem guardar todas as suas coisas enquanto comem. Uma das amigas de Lin queria pegar sua carteira no armário, mas não se preocupou em pedir à equipe para ajudá-la como qualquer pessoa normal faria. Quando alguém a encontrou tentando entrar no armário comunitário, ela foi repreendida, e temos certeza de que a barreira do idioma também não ajudou muito. Esse é o segundo golpe.

Propaganda

Acontece que dois amigos de Lin não gostavam de peixe cru. Por que diabos eles iriam comer sushi, certo? Suas duas amigas acabaram fugindo para comer carne de porco frita em outro lugar da rua - que classe. Com apenas três amigos sobrando e uma refeição pré-encomendada esperando por eles, eles cancelaram tudo e pediram ao chef de sushi apenas para cozinhar todo o peixe cru e empacotá-lo para viagem. Esse foi o terceiro golpe.

O mestre do sushi, provavelmente chateado com essas crianças insatisfeitas, perguntou: “O sushi é servido cozido no seu país? Se você não sabe lidar com alimentos crus, deveria ter nos informado quando fez a reserva! ”


Perguntas e respostas com o chef de sushi Jiro Lin de Hamano em São Francisco

1 de 4 O sushiman Hamano, Jiro Lin, posa para um retrato em seu restaurante no bairro de Noe Valley, em San Francisco, Califórnia. Sábado, 24 de agosto de 2019. Jessica Christian / The Chronicle Show More Show Less

2 de 4 O sushiman Hamano, Jiro Lin, posa para um retrato em seu restaurante no bairro de Noe Valley, em San Francisco, Califórnia. Sábado, 24 de agosto de 2019. Jessica Christian / The Chronicle Show More Show Less

3 de 4 O chef de sushi do Hamano, Jiro Lin, prepara arroz para sushi fresco em seu restaurante no bairro de Noe Valley, em San Francisco, Califórnia. Sábado, 24 de agosto de 2019. Jessica Christian / The Chronicle Show More Show Less

4 de 4 O sushiman Hamano, Jiro Lin, posa para um retrato em seu restaurante no bairro de Noe Valley, em São Francisco, Califórnia. Sábado, 24 de agosto de 2019. Jessica Christian / The Chronicle Show More Show Less

Sushi para mim é como música clássica: sei que gosto, mas nem sempre sei por quê. Eu não poderia dizer a vocês a diferença entre um prelúdio e um estudo, ou uma orquestra e uma abertura, mas definitivamente gosto de ouvir Bach e Beethoven. Eu sinto o mesmo em relação ao sushi, um alimento aparentemente simples que eu sei que contém uma infinidade.

Como restaurantes de sushi ambiciosos, especialmente aqueles que servem omakase, continuam a proliferar em São Francisco e na área da baía, há mais oportunidades do que nunca para começar a entender a arte sutil.

Para responder a algumas de minhas perguntas candentes, procurei Jiro Lin, o chef-proprietário do Hamano em Noe Valley (1332 Castro St.), um dos destinos de sushi mais notáveis ​​da cidade. Nascido na Birmânia, Lin treinou no Japão por mais de 10 anos antes de se mudar para os Estados Unidos em 2002, onde ele vem aprimorando seu ofício desde então. Por anos, ele esteve atrás do balcão de sushi no Hamano, um restaurante único que serve os dois extremos do espectro da culinária japonesa: um menu à la carte de rolos californianos e frango teriyaki, bem como uma extensa opção de omakase pela qual Lin atraiu aqueles que sabem. (A entrevista a seguir foi editada por questões de duração e clareza.)

Jiro Lin, chef de sushi do Hamano, prepara peixe para sushi fresco em seu restaurante no bairro de Noe Valley, em San Francisco, Califórnia. Sábado, 24 de agosto de 2019. Jessica Christian / The Chronicle

Omar Mamoon: Onde você tira seus peixes?

Jiro Lin: Noventa e cinco por cento vêm do Japão. Recebo entregas quatro dias por semana. Tenho dois corretores de peixes e um especialista uni. Tenho ligações próximas de viver lá.

P: Por que não comprar localmente?

UMA: Estamos tentando. Os pescadores aqui não pescam especificamente para o negócio de sushi.

P: Qual é a diferença?

UMA: Armazenamento, manuseio. No Japão, eles pescam especificamente para o negócio de sushi, portanto, lidam com isso de forma diferente. Os pescadores às vezes estripam assim que pegam no barco para manter o frescor.

P: Durante os meses quentes, o que você procura?

UMA: Peixe-azul, como cavala, sardinha e saba. Alguns peixes são encontrados o ano todo, como o pargo ou o linguado.

P: O que você consegue localmente?

UMA: Salmão de Bodega Bay ou Half Moon Bay. Quando disponíveis, temos ovas de salmão.

P: Há temperatura adequada para comer sushi?

UMA: Você quer o peixe ligeiramente resfriado, não muito frio. E então o arroz que você deseja um pouco acima da temperatura corporal. Se ficar muito quente, vai cozinhar o peixe. E se o peixe estiver muito frio, você não perceberá o sabor. Eu mantenho em torno de 45 ou 50 graus.

Jiro Lin, chef de sushi do Hamano, prepara arroz para sushi fresco em seu restaurante no bairro de Noe Valley, em San Francisco, Califórnia. Sábado, 24 de agosto de 2019. Jessica Christian / The Chronicle

P: Qual é a única coisa que você pode pedir em um restaurante de sushi que mostra a habilidade do chef?

UMA: Para mim, posso dizer pela forma como alguém corta o peixe. O corte faz muita diferença. O salmão é fácil de mastigar porque tem muito conteúdo de gordura, mas se você cortar algum tipo de peixe branco e cortá-lo da maneira errada, terá que mastigar muito mais.

P: Você pode explicar a diferença entre peixe fresco e peixe envelhecido?

UMA: O peixe fresco é bom para ser comido depois de filé-lo, como um peixe de sabor forte como a cavala. Alguns tipos de peixes tem que curar e envelhecer. Os dois principais fatores são aminoácidos e enzimas. Eu gosto de envelhecer muitos peixes selvagens como hamachi, às vezes por 30 dias.

P: Como saber se o peixe é fresco e de boa qualidade?

UMA: Há três coisas: primeiro de tudo, se você olhar para os olhos, os olhos devem ser cristalinos e claros, o que significa que foram capturados recentemente. Então você pode abrir as guelras & mdash elas devem ser bonitas e vermelhas, não marrons. A última coisa é: se você tocar no corpo do peixe, ele deve estar firme.

Jiro Lin, chef de sushi do Hamano, prepara peixe para sushi fresco em seu restaurante no bairro de Noe Valley, em San Francisco, Califórnia. Sábado, 24 de agosto de 2019. Jessica Christian / The Chronicle

P: Sushi é caro. Por que o bom sushi tem um ótimo preço?

UMA: Se eu quiser comprar uma bandeja de embalagem de US $ 60 ou US $ 70, terei de vendê-la por US $ 5 a peça. Se eu vender uma peça de US $ 150, é porque terei de pagar US $ 1.500 pela bandeja. É necessário apenas os ingredientes. Esqueça as decorações do meu restaurante e mdash it & rsquos ingredientes. É por isso que muitos lugares vão cobrar pelo preço de mercado, porque depende de quanto custou. Alguns peixes, quando a estação está começando, são loucamente caros.

Q: Onde fazer vocês vai comer sushi na área da baía?

UMA: Às vezes fico no meu próprio restaurante e deixo meu chef fazer sushi para mim. É como dois pássaros, uma pedra. Às vezes eu vou para Hashiri & mdash Eu costumava trabalhar lá. Eu realmente admiro o chef e sua técnica. Eu também gosto de ir ao Sushi Sam em San Mateo.

P: Se você fosse visitar um restaurante de sushi, qual dia é o melhor?

UMA: As pessoas costumavam dizer que o domingo é um dia ruim para ir porque só sobra tudo. Houve um tempo em que isso era verdade. Mas recebemos entrega quatro dias por semana, então não importa. A única diferença é a variedade. Na quinta e na sexta, tenho mais clientes, então tenho mais coisas a oferecer.

P: Como você pode saber o que é um bom sushi?

UMA: Para mim, quando você realmente ama sushi e realmente explora o verdadeiro sabor do sushi, você não precisa ir a um (restaurante) sofisticado. Você só precisa saber qual lugar tem peixe fresco e qual lugar tem boa técnica. Você pode dizer quando você dá aquela primeira mordida, a porção de arroz e o tamanho do peixe estão bem balanceados e tudo se encaixa bem na sua boca - isso é um bom sushi.


Sukiyabashi Jiro す き や ば し 次郎 & # 8211 O que esperar, como reservar

[Tóquio, Japão] Jiro Dreams Of Sushi. Sonhei com seu sushi.

3 estrelas Michelin Sukiyabashi Jiro す き や ば し 次郎 dirigido pelo mestre de sushi Jiro Ono tem sido apontado como um dos restaurantes mais difíceis de reservar no mundo, além de Noma e Sushi Saito.

As reservas devem ser feitas com um mês de antecedência, em japonês, com um número local do Japão. Sua popularidade se multiplicou após o documentário premiado.

Isso significa que você precisa de um concierge de hotel confiável ou de um bom amigo japonês para ligar para você no primeiro dia do mês às 9h (horário do Japão) do próximo mês.

Eu não tinha nada para puxar, mas tive a sorte de conseguir uma reserva na filial de Roppongi da Sukiyabashi Jiro (link para detalhes da reserva), comandada pelo segundo filho Takashi Ono. Mesmo assim, com 2 estrelas Michelin.

Essa é uma daquelas refeições que eu realmente me sentia estressada antes de entrar no restaurante, e fazia questão de ser mais do que pontual.

Para aqueles que estão lá apenas por causa do filme, eu sugiro que façam algumas leituras sobre a etiqueta do sushi japonês e jante em mais restaurantes de sushi antes de ir direto para Jiro. Rolinhos de sushi não contam. (Ouvimos histórias de terror de clientes solicitando sushi cozido de Jiro.)

Existe a opção de almoço de sushi ou sashimi. O conjunto de almoço de 15 pratos custaria 18.400 ienes e o jantar de 20 pratos custaria 25.900 ienes.

No final da refeição, você será perguntado se deseja pedidos adicionais ou uma repetição de algum dos sushis.

O curso de sushi pode levar menos de 45 minutos. Controle-se, apenas coma (não coma uma refeição pesada antes disso), não fale muito.

Nosso estresse foi dissipado pelo 4º sushi, quando o aparentemente jovial Chef Ono Takashi e sua equipe interagiram conosco em um inglês simples e ocasionalmente em mandarim.

Ele ocasionalmente se referia ao filme, “Você viu este sushi em NOSSO filme?” O Chef obviamente sabe como trabalhar seus clientes.

O americano sentado ao meu lado era um fã, “Sim, eu assisti 3 vezes!”

O estresse, no entanto, podia ser sentido em sua equipe. O chef perfeccionista foi direto e deu uma bronca firme, mas desobstruída, caso a comida não fosse preparada de acordo com o padrão - um grão de arroz caído ou uma pequena mancha em algum lugar.

Não entendíamos japonês, mas falávamos não verbalmente.

Houve alguns dos meus sushi favoritos durante a refeição.

Uni & # 8211 Sea Urchin
Não permita que nenhuma distração se interponha entre você e seu sushi. Basta colocar o sushi uni inteiro na boca e saborear aquela cremosidade rica e incomparável do uni sushi de primeira classe de Hokkaido. Umph, oomph.

Se você assistiu Jiro Dreams Of Sushi, sabe que a alga nori usada para embrulhar o sushi é grelhada todas as manhãs. Tanta dedicação à perfeição.

Kuruma Ebi - camarão tigre japonês
Estes camarões tigre são fervidos e deixados esfriar por alguns instantes antes de serem transformados em sushi.

O chef recomendou que os clientes comessem o rabo, depois a cabeça, que fica com sabores mais cheios devido às vísceras. Na verdade, todos nós preferíamos a parte superior da cabeça fresca, doce com uma mordida.

Shin Ika - Choco Juvenil
Liso branco brilhante brilhante, cheio de sabor, saboroso.

Áreas a serem observadas para reservas e refeições
& # 8211 Jiro aceita reservas a partir das 9h do primeiro dia de cada mês para o mês seguinte.
(Por exemplo, se desejar uma reserva para agosto, ligue no dia 1º de julho às 9h, horário de Tóquio.)
& # 8211 As exceções são os domingos (filial de Ginza) e as quartas-feiras (filial de Roppongi), quando estão fechadas, e no final de dezembro no início de janeiro para feriados anuais.
& # 8211 As reservas devem ser feitas em japonês.
& # 8211 A maioria dos clientes internacionais faria reservas por meio do concierge do hotel.
& # 8211 Não se atrase para as reservas.
& # 8211 Código de vestimenta: camisas de colarinho ou jaqueta. (Sem shorts ou sandálias.)
& # 8211 Evite usar colônias e perfumes fortes, pois isso pode interferir no cheiro e no sabor do sushi.
& # 8211 Observe a etiqueta adequada ao jantar de sushi. Por exemplo, coma o sushi imediatamente quando for servido e não o deixe descansar, não parta / morda o sushi em dois, não mergulhe o arroz de sushi no molho de soja e não separe a cobertura do sushi do arroz. Isso seria visto como um insulto ao chef de sushi.

Sukiyabashi Jiro Roppongi す き や ば し 次郎 鮨
Roppongi
3F, Roppongi Hills Keyakizaka Residence B, 6-12-12 Roppongi, Minato-ku, Tóquio, Japão (10 minutos a pé da Estação Roppongi, caminhe em direção à Torre Mori e permaneça no Nível 3)
東京 都 港区 六 本 木 6-12-12 六 本 木 ヒ ル ズ け や き 坂 通 り 3F
Tel: +81 03 5413 6626
Horário de funcionamento: Almoço das 11h30 às 14h, Jantar das 17h às 21h
Fechado às quartas e feriados, e durante o final de dezembro ao início de janeiro para feriados anuais)
Google Maps
Reserva Online & # 8211 Roppongi, filial de Sukiyabashi Jiro

Ginza
B1F, Tsukamoto Sozan Bldg, 4-2-15 Ginza, Chuo-ku, Tóquio
Tel: +81 03 3535 3600
Horário de funcionamento: Almoço das 11h30 às 14h, Jantar das 17h30 às 20h30
Fechado ao sol e feriados, e durante meados de agosto, do final de dezembro ao início de janeiro para feriados anuais)
Google Maps

* Siga @DanielFoodDiary no Facebook e Instagram para mais notícias de comida, vídeos de comida e destaques de viagens. O Diário Alimentar de Daniel & # 8217s pagou por alimentos revisados, salvo indicação em contrário.


Sushi Jiro - Chadstone

Para os amantes de vegetais! Mini Pepino, Alga Inari, Vege Tempura Nigiri, Vege Roll, Abacate Nigiri e Salada de Cogumelo Inari.

Rock n Roll

Uma grande seleção de rolos de sushi para animar a sua festa! Rolinhos Avo de Salmão, Rolinhos de Frango Teriyaki, Rolinhos Califórnia e Rolinhos De Atum Cozido.

Hot Choice

As melhores seleções favoritas de Jiro! Corquette de vegetais, Takoyaki, Gyoza de Porco, Frango Karaage, Rolinho Primavera e Garra de Caranguejo.

Nori Aburi

Saborosa seleção Aburi de Sushi Rolls e Nigiris. Salmão Aburi Teri, Salmão Queijo Aburi, Vieira Aburi Teri, Rolinho de Queijo Nacho, Rolinho Rei Leão, Rolinho de Salmão Aburi e Rolinho Himalaia.

Amante de salmão

Tudo sobre salmão para os amantes de salmão! Nigiri de salmão, Rolls, Mini Rolls e Sashimi.

Sashimi do Chef

Variedade mais fresca de Sashimi! Salmão, Kingfish, Atum, Scampi e Vieiras.

Favorito de Jiro

Seleção favorita do Sushi Jiro! Nigiris: salmão e vieira. Atuna e Camarão. Rolls: California and Veggie Catepillar. Amante de salmão e Salmon Hokke.

Sushi Deluxe

A seleção favorita de todos os tempos de Sushi Nigiris, Salmão, Vieira, Atum, Kingfish, Camarão e Unagi.

Seleção Premium

Nossa seleção Premium de frutos do mar frescos! Salmão, Kingfish, Atum, Surf Clam, Scampi, Vieira, Camarão e Barco de Salmão Ikura.


Sushi Jiro - Box Hill

Para os amantes de vegetais! Mini Pepino, Alga Inari, Vege Tempura Nigiri, Vege Roll, Abacate Nigiri e Salada de Cogumelo Inari.

Rock n Roll

Uma grande seleção de rolos de sushi para animar a sua festa! Rolinhos Avo de Salmão, Rolinhos de Frango Teriyaki, Rolinhos Califórnia e Rolinhos De Atum Cozido.

Hot Choice

As melhores seleções favoritas de Jiro! Corquette de vegetais, Takoyaki, Gyoza de Porco, Frango Karaage, Rolinho Primavera e Garra de Caranguejo.

Nori Aburi

Saborosa seleção Aburi de Sushi Rolls e Nigiris. Salmão Aburi Teri, Salmão Queijo Aburi, Vieira Aburi Teri, Rolinho de Queijo Nacho, Rolinho Rei Leão, Rolinho de Salmão Aburi e Rolinho Himalaia.

Amante de salmão

Tudo sobre salmão para os amantes de salmão! Nigiri de salmão, Rolls, Mini Rolls e Sashimi.

Sashimi do Chef

Variedade mais fresca de Sashimi! Salmão, Kingfish, Atum, Scampi e Vieiras.

Favorito de Jiro

Seleção favorita de Sushi jiro! Nigiris: salmão e vieira. Atuna e Camarão. Rolls: California and Veggie Catepillar. Amante de salmão e Salmon Hokke.

Sushi Deluxe

A seleção favorita de todos os tempos de Sushi Nigiris, Salmão, Vieira, Atum, Kingfish, Camarão e Unagi.

Seleção Premium

Nossa seleção Premium de frutos do mar frescos! Salmão, Kingfish, Atum, Surf Clam, Scampi, Vieira, Camarão e Barco de Salmão Ikura.


Estudante chinês pede sushi cozido no Sukibayashi Jiro e é inflamado por internautas chineses

Acho que os caras que dirigem esses restaurantes de sushi pensam no que fazem como uma forma de arte. Mais uma expressão do que apenas uma refeição. Da mesma forma que um cliente não pediria a um artista para colocar arbustos em uma pintura porque isso os deixaria felizes, esses caras não querem alterar sua comida. Não acho que seja muito incomum que restaurantes sofisticados tenham uma "política de proibição de alterações".

Pessoalmente, não dou a mínima para comida artesanal, me dê uma pizza de posto de gasolina e eu ficarei feliz. Mas eu realmente acho que as pessoas devem dirigir seus negócios da maneira que acharem melhor, o cliente está sempre certo não pode ser aplicado universalmente.

Mas vamos, Sushi cozido? Isso é como ir a um bom restaurante italiano e pedir um pouco de ketchup para colocar no macarrão.

Acho que os caras que dirigem esses restaurantes de sushi pensam no que fazem como uma forma de arte.

Jiro Dreams of Sushi lhe dará uma visão direta de como eles veem o que fazem. Mesmo esquecendo toda a controvérsia aqui, ele & # x27s obteve uma pontuação muito rara de 99% no Rotten Tomatoes. Eu gostei muito, mas não me surpreendeu como a pontuação de 99% sugeriria. Independentemente disso, é hora de você não se arrepender de gastar.

A família que dirige Jiro não parece o tipo que chamaria sua comida de & quotart & quot. Este é simplesmente um ofício que eles aperfeiçoaram nos mínimos detalhes ao longo de décadas e ela estava solicitando que eles fizessem algo que simplesmente, eles não fazem. É como ir a um bar de jazz e gritar & quotlet & # x27s ouve Skynyrd! & Quot

Esta é apenas uma garota sem noção fazendo uma coisa sem noção que provavelmente pensou que por ser um estabelecimento japonês, seus camaradas se uniriam em torno desta grande injustiça. Acho que ela acabou percebendo o erro que cometia, desculpou-se e todos nós podemos continuar com nossas vidas agora.

Que tal simplesmente não agir como um idiota em um restaurante. Fico feliz que ela se desculpou, mas por que agir assim em público?

Quem insulta o pessoal do restaurante, afinal? Que movimento idiota.

Mais como ir a um restaurante italiano que serve o melhor espaguete do mundo e reclamar porque você não gosta de macarrão e prefere um hambúrguer.

No Japão, o sushi é uma forma de arte. Você tem que respeitar o artista, se você decidir entrar no templo dele, certo? Essas garotas chinesas deveriam ter comido sushi nos Estados Unidos, onde vale tudo para ganhar o dinheiro do cliente. Por outro lado, boa sorte para que seu chef coreano ou chinês faça qualquer coisa que se pareça com Jiro & # x27s.

Tenho vergonha dela como o rosto do povo chinês. Posso não gostar do governo japonês, da história passada, etc (meus preconceitos são muitos, infelizmente.), Mas vamos lá, pedir sushi cozido? Isso não tem classes de tal maneira que nem mesmo Karl Marx aprovaria.

Fico pasmo com a quantidade de chineses que gostam de seus bifes bem passados.

deveria ter cozinhado a língua dela

Como diz o velho ditado, quando estiver em Roma, faça como os romanos. Pode ser difícil entender completamente e se adaptar aos hábitos culturais, seja no Japão, Roma ou em qualquer outro lugar, mas assim como não apreciaríamos visitantes estrangeiros fazendo coisas ultrajantes em nossa terra natal, não faria mal fazer um pouco pesquise antes de visitar outros países para evitar fazer qualquer coisa fora da linha em terras estrangeiras.

Por que diabos isso seria diferente para você, oh - só porque você não é de 中国? Você espera um tratamento especial? Você quer que todos mudem seus caminhos e acomodem suas escolhas? Suck it up.

Parece que algumas crianças 官 二代 ou 富 二代 são imaturas, intituladas idiotas. 40 minutos atrasado? Não consigo comer peixe cru? Por quê?

Vá verificar o artigo Shanghaiist.

Exceto que os chefs desses restaurantes não se tornaram chefs para serem celebridades, esses são os melhores chefs de sushi do mundo e você vai lá para comer a comida deles & # x27s não é um lugar que você vai e pede a eles para mudar o que fazem

Odeio pessoalmente toda a cultura do chef celebridade, de qualquer forma, fazendo com que eles sejam maiores do que a própria vida e posicione idiotas como ramsey ou aqueles cretinos da padaria Amy & # x27s

A padaria amy & # x27s inútil era um jogo de bola totalmente diferente. E se você não gosta de um lugar, por que ir? Só para posar em fotos? Postagem no FB / Twitter - & quotOlhe, fui a esse lugar famoso rs & lt3 & quot porcaria?

você é um idiota do caralho. você sabe o que é Sukiyabashi Jiro? jiro é um dos melhores, senão o melhor chef de sushi do mundo. Jiro Dreams of Sushi. dá o fora, cara. as estrelas Michelin dele superam o seu próprio senso de merda. ele é um dos melhores chefs do mundo. leva um RSVP de dois meses para entrar. as pessoas que comem lá SABEM onde diabos estão comendo. esses chineses e sua ignorância e arrogância continuam a aparecer quando viajam para o exterior. É como jantar na Julia Child e dizer que tem gosto nojento. GTFO.

ela agiu com desrespeito a um dos chefs mais respeitados do mundo. ele não é celebridade. ele é bom com décadas de experiência. esses caras colocam pelo menos dias de preparação (horas) na preparação de alimentos. assista ao documentário.

se você ler posts posteriores, ela realmente voltou e se desculpou por seu comportamento ignorante. ela e sua companhia chinesa agiam como idiotas. como diabos você janta em um restaurante japonês. e não sabe que é peixe cru?

este não é Gordon Ramsey, que tem estrelas Michelin. nem é bourdain, ripert, besh, elliot, chang, crenn ou colicchio ou qualquer outro chef de & quotcelebridade & quot que você & quot pensa & quot que conhece. ele não é raio raqueal ou cara diners e mergulhos merda.


O filho de Jiro Ono sobre o incidente do sushi cozido: 'Todos cometem erros'

Takashi Ono, filho do famoso chef de sushi Jiro Ono, aceitou o pedido de desculpas de estudantes chineses que pediram sushi cozido na filial do restaurante com estrela Michelin Sukiyabashi Jiro Ele administra. O grupo foi castigado na internet depois que um deles publicou seu relato no popular site de mídia social chinês, Weibo. De acordo com Wall Street Journal, Ono diz que após a reação, o aluno voltou ao restaurante e pediu desculpas a ele. Ele adiciona, "Todo mundo comete erros. Ela não precisava voltar aqui e se desculpar, mas ela o fez, provavelmente fora de sua consciência, ou por causa da enxurrada de críticas que recebeu. "

Ele acredita que o incidente ocorreu por causa de diferenças culturais. É comum em países estrangeiros que restaurantes japoneses ofereçam sushi "junto com itens como peixe cozido ou tempura". Isso é especialmente verdadeiro na China, onde os clientes muitas vezes "franzem o nariz ao ver carne crua ou para pedir sashimi cozido porque não o consideram seguro para comer".

Ono observa, no entanto, que desde o lançamento do popular documentário Jiro Dreams of Sushi, que apresenta o restaurante, ele raramente recebe pedidos de peixe cozido, acrescentando que o filme ajudou a "desmistificar" a comida que eles servem.


Jiro Dreams of Sushi: assista ao filme e deixe uma pergunta para o diretor

Assista ao filme Jiro Dreams of Sushi e leia o diretor sobre como uma amostra do lendário sushi de Jiro Ono foi suficiente para convencê-lo de que o chef de Tóquio merecia um documentário só dele.

Gelb será respondendo as suas perguntas na segunda-feira, 14 de janeiro - poste nos comentários abaixo

Minhas viagens frequentes em família ao Japão enquanto eu crescia acabaram me levando ao meu fascínio e admiração pela arte de fazer sushi. Depois da faculdade, vi o planeta Terra da BBC e imediatamente pensei que seria ótimo se alguém fizesse um filme como esse sobre o melhor sushi chef do mundo. Sempre achei que o sushi é a comida mais visualmente criativa, e o chef de sushi, o showman definitivo. Então, embarquei em uma excursão pelos maiores restaurantes de sushi de Tóquio com o renomado crítico Masuhiro Yamamoto e descobri o famoso restaurante Sukiyabashi Jiro. Assim que conheci o Chef Jiro e comi o sushi mais delicioso da minha vida, soube que esse homem seria o tema do meu filme.

Além do sushi incrível, fiquei intrigado com o fato de que ele não só ainda trabalha aos 85 anos, mas seus filhos ainda trabalham para ele. Filho de um pai alcoólatra que vivia sozinho desde os 10 anos, Jiro dedicou sua vida a dominar seu ofício e a proporcionar um ambiente onde seus filhos pudessem prosperar. É um negócio muito difícil, e conquistar a clientela para permitir que você forneça a qualidade que a Jiro oferece não é tão fácil. Vou apontar o que Jiro menciona no filme, que 95% da preparação acontece na cozinha antes mesmo de ele chegar. É um testemunho incrível de como ele é um grande professor. Seus filhos aprenderam tudo isso, e a qualidade de Jiro sempre estará lá com eles.

Em um negócio difícil, onde a oferta de peixes está diminuindo e o custo dos ingredientes aumentando, Jiro ganhou reconhecimento e seguidores leais por dominar a arte de fazer sushi em sua forma mais pura. Tive a oportunidade de provar o sushi do Jiro durante as filmagens do documentário e a experiência foi impecável. O que diferencia o sushi de Jiro dos demais? O grande diferencial é o arroz. Na minha opinião, muitos restaurantes de sushi fora do Japão - mesmo os mais sofisticados - ignoram o arroz. O Jiro's é um pouco mais vinagre do que estaríamos acostumados e servido em temperatura corporal. É cozinhado a uma pressão muito elevada, o que lhe permite ficar fofo mas, ao mesmo tempo, cada grão mantém a sua forma. Então, quando você come, você obtém esta maravilhosa mistura de peixe e arroz. Jiro o dominou. Acaba com o gosto de algo completamente novo.

Para fazer Jiro Dreams of Sushi, passei oito semanas em Tóquio ao longo de dois anos, reunindo imagens e mergulhando de cabeça no mundo de Jiro. O editor e meu amigo de longa data, Brandon Driscoll-Luttringer, trabalharam em estreita colaboração comigo para divulgar a história desse homem, procurando ilustrar como sua ética de trabalho moldou seu caráter e o de seus filhos. Embora seja muito sobre sushi, este filme não é simplesmente um documentário foodie. É a história de um homem que dedicou sua vida a dominar um ofício.

A recusa de Jiro em parar me lembra meus avós, que ainda se levantam às 5 da manhã para escrever. É por isso que eles ainda são tão afiados. Como Jiro, eles nunca param de melhorar. Esse ato de se impulsionar para frente e nunca olhar para trás é um dos principais temas do filme.

Espero que gostem de assistir meu documentário, Jiro Dreams of Sushi. Estarei de volta na segunda-feira, 14 de janeiro para responder às suas perguntas, por favor, poste-as abaixo!


Filmagem de sonho, mas com enredo rude despertando em & # 8216Jiro & # 8217

Em uma pequena loja situada em uma estação de metrô de Tóquio, as mãos habilidosas de Jiro Ono e # 8217 estão dançando em seu restaurante, Sukiyabashi Jiro. Arroz, peixe e molho são combinados em um minúsculo pacote de sabores que pode dominar todos os sentidos. Apenas os ingredientes mais selecionados do mercado de peixes de Tokyo & # 8217s e os melhores comerciantes de arroz são aceitáveis ​​para o sushi Jiro & # 8217s, e eles são preparados com vigoroso ritual e cuidado. A pequena loja de Jiro & # 8217 ganhou fama na comunidade de crítica gastronômica, e seu brilhantismo é o foco do primeiro grande documentário de David Gelb & # 8217, & # 8220Jiro Dreams of Sushi. & # 8221

Por menor que seja a loja de sushi Jiro & # 8217s, ela foi considerada uma das melhores do mundo pelo Guia Michelin, recebendo uma rara classificação de três estrelas. Um crítico gastronômico em & # 8220Jiro Dreams of Sushi & # 8221 disse que não só vale a pena vir ao Japão apenas para jantar no Sukiyabashi Jiro, mas que quando foi julgado pela Michelin era Jiro & # 8217s filho mais velho, Yoshikazu, fazendo o sushi, observando que todo o gênio do sushi Jiro & # 8217s não foi criticado. O preço de um almoço ou jantar no Sukiyabashi Jiro é de 30.000 ienes, ou cerca de US $ 375, e as reservas devem ser feitas com pelo menos um mês de antecedência.

Assistir Jiro e seus aprendizes fazendo e preparando sushi na tela é hipnotizante. Mesmo o arroz sendo cozido e preparado é envolvente e fascinante. O trabalho de câmera do Gelb & # 8217s captura Jiro & # 8217s 75 anos de experiência na fabricação de sushi posta à prova com cada monte de arroz moldado, cada fatia de atum e cada pincelada com molho suculento. Fitting classical music is added to turn Jiro’s serving of guests into a waltz. Despite some clashing cinematographic techniques, Jiro’s craft is guaranteed to keep an audience’s attention.

But “Jiro Dreams of Sushi” is not all about sushi. The film jumps its focus from Jiro and his sons’ personal lives and their lives with sushi. There is no clear distinction in the storytelling because the entire family’s focus is on each person’s work. Jiro visits his hometown, tells of his time during and after World War II, and describes his upbringing. The film also covers the differences between Jiro’s children.

While Yoshikazu works at his father’s Sukiyabushi Jiro, his younger son, Takashi, manages another branch of the shop. Jiro explains how his sons were drawn to different aspects of the sushi-making business, and how he is very proud of their dedication.

Jiro explains his philosophy of hard work and how he has devoted his life entirely to sushi. He is trying to achieve perfection in his technique but says he will probably never make the sushi to beat them all. Yoshikazu says hard work will only take one so far and that talent must carry quality the rest of the way to perfection. American audiences may disagree with these claims, but the way they are presented in “Jiro Dreams of Sushi” is an interesting look into the Japanese traditional mindset.

“Jiro Dreams of Sushi” touches on a lot of topics not relating to Jiro that tear away from the film’s focus. For example, while shots of Tokyo’s Tsukiji fish market are eye-opening and engrossing, much of this footage feels like fluff to try to make the film longer. There is too much focus on aspects that don’t adhere to the theme of Jiro’s hard work.

A serious lack of direction also harms the film’s overall flow. There are so many peaks in narrative that could have been used to end the film that when the finale finally arrives, audiences may wonder if there is more. The tale of Jiro could have been told in a much more straight-forward fashion, but instead Jiro’s life is poorly chopped up. While it’s not impossible to make sense of the jumps, it doesn’t do Jiro justice.

“Jiro Dreams of Sushi” is entirely in Japanese with English subtitles, immersing the audience in Jiro’s thoughts and imagination. It should be noted, however, that the translation is embellished. Often, when Jiro was giving specific information, his words were changed to more lucid, poetic responses. Jiro’s actual demeanor of language in Japanese is straight-forward, looking to convey his thoughts concisely instead of using the flowing language of the subtitles.

Seeing a master of sushi at work is an incredible experience. But as a film, “Jiro Dreams of Sushi” misses the mark on putting together a good documentary.


Anthony Bourdain Explains His Hyper-violent Sushi Master Epic, ‘Get Jiro’

While he’s best-known as a chef and host of shows like CNN’s Parts Unknown, if you ask Anthony Bourdain to describe his profession in as few words as possible, he’d probably mention he’s a writer first. “On a good writing day,” Anthony Bourdain told Men’s Journal in this month’s cover story, “I’ll write myself into a corner, then spend the rest of the day trying to solve the problem.” Although his most well-known book is probably the 2000 memoir about working in kitchens from New York to Japan, Kitchen Confidential: Adventures in the Culinary Underbelly, Bourdain has also dabbled in crime fiction, and the 2012 graphic novel about a killer sushi master, Get Jiro!, which Vulture’s Abraham Riesman called “a lysergic mixture of Top Chef and The Warriors.”

Anthony Bourdain on Hangovers, Regret, and Finding a Calling

Next month, Bourdain will team back up with co-writer Joel Rose along with Alé Garza and Dave Johnson, and revisit Jiro, this time with a prequel set in Japan that tells his origin story, Get Jiro: Blood and Sushi. Men’s Journal caught up with Bourdain to talk about his love of subversive comics, dystopian fiction, and how he functions as a writer even with a schedule that doesn’t have too many moments to spare.

You talk about the influence of music and writers like William Burroughs. Were you a comic book fan growing up?
Yeah, I was. I collected Golden Age EC comics. I grew up reading the original Mad magazine. I was a big fan of the old Mad from the ’50s with Will Elder and Harvey Kurtzman. It was back when Mad was a comic book. They were really disturbed, something really dark and filled with anxiety and sex and violence. So I wanted to be a comic artist. Then that sort of morphed and I wanted to be an underground cartoonist like R.Crumb or Robert Williams or a lot of the stuff that was underground that were really exciting to me. I wasn’t a very dedicated art student, to put it that way. I sort of put those dreams aside. But I had a sizable and impressive collection of comics, so when I got the opportunity to work on one a few years ago, it was kind of a realization of unfulfilled dreams.

I was trying to describe your first graphic novel, Get Jiro!, to a friend, and the only thing I could come up with was this cross between Kill Bill with JG Ballard and William Gibson and food thrown in, kind of. How did you come up with it?
It’s aspirational in a lot of ways. I was sitting at Sushi Yasuda in New York, and the chef there is a friend and somebody I really respect. I’m well aware of the many, many years it took him just to learn how to cook rice properly before his master allowed him to work with the fish. And I was sitting there as these two wealthy knuckleheads sit down at this bar and immediately start stirring a big wad of his hand-grated, fresh wasabi into a dish of soy sauce with the intention of dunking, unseen and untried, his sushi in there, and I saw a look of pain and discomfort. I thought, man, wouldn’t it be great if he could just reach across the bar and slice their heads off. So that was the jumping off point. Wouldn’t it be nice if we lived in a world where disrespecting good sushi could get you killed and no one would care? In my fiction, people who don’t know how to eat or who do terrible things to food tend to get killed.

Something that runs through all of your projects, TV or writing, is the theme that food isn’t something to be taken lightly.
You know, I worked in an industry for 30 years, and more often than not, the chefs were punished for their best efforts. There’s a disconnect, for much of my career anyway, between what we were doing in the kitchen and how hard we worked on things and how they might have been appreciated. You know, the lives of our costumers are very different, and very remote from the lives we lived in the kitchen. I guess that has something to do with it.

So food and strife go hand-in-hand?
There’s nothing more political than food. As I travel around the world, it’s either intensified a national or ethnic vibe, or something that people fight or struggle every day to have. I mean, who’s eating and who’s not eating. When I’m traveling, countries where food isn’t worth arguing about are not countries I generally enjoy being in.

How Anthony Bourdain Dives Into a City

In the Tokyo episode of Parts Unknown, you say your first time in the city, where the graphic novels are set, was transformative. What kind of effect does the city have on you still?
You confront it right away with all of the things you don’t know. You know it’s such a steep learning curve, even mastering one block in Tokyo — it’s so densely packed with stimulus and little worlds within worlds. Just learning to behave appropriately by Japanese standards is an impossible task. It’s so different, so stimulating, and when you go there for the first time — when I went for the first time — you really are forced, in a violent way, I think, to re-examine this notion that you come from the center of the world. That’s immediately brought into deep question. Everything you thought was true has to be re-examined now because you realize, ‘Wow, maybe I don’t live in the center of the world. Maybe I have a whole hell of a lot to learn.’ It threw me off kilter in a wonderful way that I’ve never recovered from.

People like to speculate who Jiro is based on.
It has been erroneously reported that there is a connection between the character and [sushi master, subject of the documentary Jiro Dreams of Sushi] Jiro Ono. There isn’t.

You’ve had a number of successful nonfiction books, and you’ve written some crime fiction as well. How do you approach a graphic novel differently?
I like to start all my stories with a character and with a dialogue and a situation. Joel Rose is my co-author and he’s had a lot more experience working in graphic novels, so as far as pacing and how to break down a story into digestible pieces but work in a graphic way, that’s something he’s much better at than me. But it started as a story: the dialogue, details, and atmospherics, these are the things I like. The mechanics of making its layout, mapping out a plot in a dramatically coherent and satisfying way is the most difficult part for me. I tend to not care about plot much either when I read or write. Like a good Elmore Leonard book, I don’t care what happens. I like the characters. I like to lose myself in the details, the atmospherics, and the lushness of the dialogue. One of things that’s great about Elmore Leonard, for instance, is you really don’t care whodunit, because he tells you whodunit right away. It’s not a mystery.

H ow do you carve out time to write? Do you have some sort of schedule?
I write first thing in the morning. I found that I’m a morning person. I always write first thing in the morning before I have time to think up any of the million good reasons why I shouldn’t or couldn’t be writing. I also tend to get progressively stupider as the day progresses, so I’m at my best in the morning. I try to jump on that quickly, write for as long as I can and then go about my business.

Para ter acesso a vídeos de equipamentos exclusivos, entrevistas com celebridades e muito mais, inscreva-se no YouTube!


Assista o vídeo: Origami Sush. Роллы едят вилкой? #sushi #roll #delivery #food #суши (Agosto 2022).